Pergunta 2

P: Sou uma pessoa que sempre pensou muito. penso durante todo o dia, desde criança, principalmente antes de adormecer. Que diferença há entre um pensamento mau e um pensamento bom?

 

R: Pensar é tão natural e incontrolável quanto os batimentos cardíacos, sudorese, sede, fome, movimentos pulmonares, etc. Pertence ao ser humano pensante e com capacidade de raciocínio. É uma condição que nos distingue dos outros seres vivos irracionais. Portanto, pertence à nossa biologia e natural funcionamento. Naturalmente que damos mais espaço para pensar e nos deixar levar pelo fluxo de pensamentos quando estamos em silêncio, sob o luar, deitados sobre a almofada. Durante o dia também estamos constantemente a pensar, porém conseguimos dirigir melhor o nosso pensamento de acordo com o que estamos a fazer ou a planear. Já à noite, imersos no escuro, os pensamentos divagam mais, uma vez tendo esse espaço. Não é algo negativo nem positivo. É um processo natural de "arrumação" de informação que durante o dia não a pudemos armazenar. Tal é saudável e necessário.

Se existem pensamentos bons e maus, outra questão cuja resposta é negativa. Nenhum pensamento, em si mesmo, tem um caráter bom ou mau; depende sim da valência subjetiva que cada pessoa lhe atribui. Ou seja, pensar a morte para uns pode gerar aflição e medo e para outros pode gerar sentimentos de paz e tranquilidade. Pensar um casamento tanto pode gerar ansiedade, medo que algo corra mal ou então felicidade e euforia. Um divórcio, a mesma coisa, para uns gera tristeza, revolta e abatimento, mas para outros gera alívio e um sentimento de liberdade. Portanto, nada é bom ou mau. Tudo depende da leitura que cada um de nós dá.