Pergunta 12

P: Estou sempre a lavar as mãos. As pessoas estranham e chamam-me a atenção. Eu não consigo controlar-me. Sinto-me sujo e preciso desinfetar-me constantemente. Não suporto tocar em pessoas nem coisas. Afasto-me! Sou uma pessoa isolada. O que tenho?

 

R: A higiene é natural e necessária, já o excesso de higiene e, acima de tudo, a preocupação constante com a higiene e com medo da contaminação, o evitamento de locais e pessoas, a dificuldade em trabalhar por falhas de concentração, o isolamento, o medo e a ansiedade excessiva isso sim já se trata de um campo psicopatológico. Nem sempre é fácil traçar a linha que separa o normal do patológico. O que as distingue é mesmo o excesso e o quanto incapacitam a pessoa que a padece no seu campo pessoal, profissional, académico, social.

Neste caso, mais uma vez, há uma deturpação percetiva, uma alteração no julgamento e falta de verificação do seu comportamento. Há quebra nos processos mentais superiores derivado de questões psicológicas que aprisionam o paciente a uma vida de enclausura e limpezas constantes. Enquadra-se numa Perturbação Obsessivo-Compulsiva com perda de controlo dos impulsos. Por mais que a pessoa até reconheça que, racionalmente, nada há ao seu redor que a possa contaminar, o certo é que age pelo impulso de limpar sem conseguir mediar a ação. Requer apoio psicoterapêutico contínuo e prolongado, habilitação neuropsicológica (para o controlo da impulsividade) e, em casos mais extremados, recurso concomitante de psicofármacos.